Biodanza
Image


Educação Biocêntrica


Educação Biocêntrica e Cultura Biocêntrica - Uma mudança de paradigma
 

"A educação biocêntrica é uma teoria que coloca a vida como centralidade ética, ecológica e educativa. O objetivo é semear o processo de formação humana que desenvolva os potenciais criativos, a liberdade intelectual e a singularidade das aptidões"
(Elisa Gonsalves)


 Sistema Biodança como mediação entre a educação tradicional e a proposta biocêntrica
O Sistema Biodanza como mediação entre a educação tradicional e a proposta biocêntrica



A Educação Biocêntrica tem como fundamento o respeito e a vida no centro das ciências humanas. Este princípio inspira-se no facto de todo o Universo estar organizado em função da vida.  A Educação contemporânea, em quase todo o Ocidente, não cumpre a sua tarefa de entregar ao individuo pautas internas de desenvolvimento. Não desperta nele os germens naturais de vitalidade, nem os valores do íntimo. Não desenvolve potenciais criativos, a liberdade intelectual, nem a singularidade das aptidões. Não fomenta o esplendor das relações humanas. A educação actual tende a produzir a adaptação servil ao establishment” (Toro,1991).

É neste  olhar sobre a situação da educação contemporânea que Rolando Toro propõe um paradigma centrado na vida e uma educação que possíbilite trazer a vida, o afecto, para o contexto escolar. Ao orientar o comportamento humano (o nosso posicionamento no mundo) através da ética do amor à vida, a Educação Biocêntrica realiza um projeto de transformação social, na medida em que esta penetra nos sistemas de ensino, possibilitando à sociedade uma reaprendizagem do cuidado a ter com a vida, em todas as suas manifestações.


A conexão com o Princípio Biocêntrico permite experimentar uma vinculação profunda com a natureza e com todas as formas de vida, defender a qualidade da educação através de uma ação ecológica, protegendo e cuidando do meio ambiente. Uma educação centrada neste princípio apresenta uma nova conceção da cultura fomentando e defendendo o respeito à vida, a todas as formas de vida...


A afetividade é o eixo central sobre o qual a Educação Biocêntrica e o Sistema Biodanza fundamentam todos os processos do desenvolvimento humano, estimulando a recuperação da unidade perdida entre o homem e a natureza. Desenvolver a inteligência afetiva implica fortalecer um nível profundo de consciência com consequências éticas.


A Educação Biocêntrica propõe-se a fazer, a nível mundial, uma inserção da afetividade no processo de ensino-aprendizagem, procurando recuperar os valores humanos “saudáveis” em prol de uma transformação social profunda:

"A única possibilidade de sobrevivência da nossa espécie, nesta carreira autodestrutiva, é a adopção de uma educação que se proponha o restabelecimento da afetividade. Este é o objetivo da Educação Biocêntrica, que as crianças não cresçam neste contexto de violência e de valores alienados, mas sim, que cresçam no companheirismo, no respeito aos irmãos, com criatividade, na amizade, na compaixão e no respeito à natureza". (Toro, Informativo Biodanza, nº1, Brasília, maio de 2001,p.7)


Sem abandonar as conquistas da educação tradicional e do desenvolvimento tecnocientífico, a Educação Biocêntrica rompe com a supervalorização da racionalidade, valorizando a inteligência afetiva, as sensações corporais, a expressão, o contacto e o valor cenestésico do movimento.


A aprendizagem é o resultado do conhecimento (epistemologia) e da vivência (ontologia). Enquanto a educação tradicional promove a padronização das pessoas, a Educação Biocêntrica reforça a liberdade do ser criativo; a tradicional elege os valores competitivos, o poder, a auto-suficiência; a Biocêntrica faz um convite à solidariedade, à construção coletiva, ao amor indiferenciado. Esta forma de educar promove o fim das dicotomias culturais, de uma fragmentação entre a mente e o corpo, o sagrado e o profano, o indivíduo e a sociedade, interior e exterior, natureza e cultura, desenvolvendo a integração destas dimensões que fazem parte da Vida como um Todo.


"A Biodança aplicada como mediação, em espaços educativos escolares e não-escolares, pode ser uma ferramenta poderosa para a reestruturação da afetividade e para o desenvolvimento da consciência ética. Ao estimular a expressão da identidade e o desenvolvimento dos potenciais de vitalidade, sexualidade, criatividade,afetividade e transcendência, a Biodança estimula a vida que há na escola."

(Gonsalves (s/d), p.5).


Desenvolver uma acção capaz de transformar a sociedade desigual numa sociedade solidária, biocêntrica é o propósito da Educação Biocêntrica. A educação precisa ser realizada com amor, para o amor e a partir do amor, a partir do seu potencial social e político.

A pedagogia do amor indica a imagem do individuo relacional e, portanto, uma vinculação solidária com o outro, que implica um exercício permanente de cuidar, pessoal, social e politicamente.

As condições culturais, sociais e económicas da atualidade são anti vida, cabe instaurar uma nova configuração social, restabelecendo, em cada instante, movimentos que sejam nutritivos para a vida, sendo a família e o ambiente escolar espaços privilegiados para aprender a viver.

"Não se aprende solidariedade, amor e ética apenas lendo livros. É preciso ser solidário para saber o que é solidariedade"
(Elisa Gonsalves)


"Educar corresponde, primeiramente, à descoberta de possibilidades humanas por estar no mundo. (...) À Educação Biocêntrica cabe resgatar todos os sentidos: visão do mundo, cheiro do mundo, gosto do mundo, toque do mundo, sons do mundo!" (Gonsalves, Elisa; Lima, Sinfrónio in Educação Biocêntrica, Educação Selvagem: a contribuição de Rolando Toro) E a Biodanza, enquanto sistema mediador pode facilitar a incorporação da Educação Biocêntrica na escola.

"
A biodanza nasceu no coração de um educador preocupado em formar pessoas saudáveis e felizes"
(Elisa Gonsalves)

A Educação Biocêntrica não acontece através de uma imposição de conceitos, de vivências, ou de conteúdos, porque ela não é objeto de decretos ou leis, mas sim uma expressão da vontade mais íntima de cada pessoa e o seu poder de se tornar coletiva. Este processo inicia-se com pequenos passos, pequenos gestos. (Gonsalves, 2009). Igualmente se salienta que "Os materiais da educação não estão cerrados em salas, confinados em escolas ou quaisquer instituições. Os materiais da educação não se prendem a locais fixamente determinados; eles não se deixam aprisionar, circulam em diferentes espaços e tempos, das formas mais variadas e por vezes inesperadas. Os materiais da educação só podem ser buscados na VIDA em que vivemos. (…) Dar ao espaço educativo a forma de uma escola-universo!" (Gonsalves, 2009)

A crítica tecida por Rolando Toro face à forma como tem sido desenvolvida a Educação ao longo dos últimos séculos assenta na necessidade de se mudar o enfoque em contexto escolar, dando espaço à expressão da afetividade, potenciando o contacto com o sentir, o que permite estruturar uma aprendizagem em que os laço afetivos e vínculos se fazem presentes:
"Las propuestas de la educación están absolutamente desorientadas. La filosofía de la educación está en crisis -y siempre lo ha estado- por eso el mundo está como está". Se oye decir: "los fines de la educación son preparar a los niños para los grandes desafíos del tercer milenio". (...) Lo que les quiero decir es que el punto de partida de la educación tiene que ser la reestructuración afectiva. Y que para ello es necesario introducir -como mediación- la Biodanza"
(RolandoToro, in Biodanza y Educatión)

Como reforça Elisa Gonsalves: "Para criar relações de vida é preciso vivê-las e não esperá-las; para amar é preciso sentir e não imaginar." Enquanto mediadora, a Biodanza pode, nos espaços educativos, fazer florescer os potenciais genéticos, que constituem o fundamento vivente de cada ser. Nos espaços educativos escolares e não-escolares, pode ser uma ferramenta que permite a reestruturação da afetividade. Ao estimular a expressão da identidade e o desenvolvimento dos potenciais de vitalidade, sexualidade, criatividade, afetividade e transcendência, a Biodanza estimula a vida que há no espaço escolar.



Rolando Toro define 5 elementos que constituem a base da Educação Biocêntrica:

"1. A Educação Biocêntrica se fundamenta no paradigma das ciências humanas: o princípio biocêntrico.

2. O Princípio Biocêntrico põe sua prioridade absoluta nas ações que permitem a conservação e evolução da vida, estimulando a expressão dos instintos e o desenvolvimento afetivo  (...).

3. Metodologicamente utiliza o Sistema Biodanza como mediação entre a educação tradicional e a proposta biocêntrica. Isto significa incorporar os novos conteúdos programáticos à prática educativa e à metodologia.

4. Os fatores ambientais constituem os ecofatores de integração com a natureza e com o semelhante. Os ecofatores se organizam em torno do amor, da natureza, da sacralidade da vida e do amor ao semelhante.

5. Os conteúdos são: expressão da identidade (potenciais genéticos); renovação orgânica; harmonização do inconsciente vital; afetividade integrada; criatividade, inovação existencial e artística; expansão da consciência (ética); percepção da unidade cósmica; desenvolvimento da inteligência afetiva e da razão crítica; prazer de viver."

 

Referências Bibliográficas:

Flores, Feliciano Edi Vieira (Org.) (2006). Educação Biocêntrica: aprendizagem visceral e integração afetiva. Porto Alegre: Editora EVANGRAF, Lda.

Gonsalves, Elisa & Lima, Sinfronio (s/d). Educação Biocêntrica, Educação Selvagem: a contribuição de Rolando Toro. in  www.lauryoliveira.com/files/educ.pdf. data da captura 10-02-2014.
Sarpe, António (2010). Educação Biocêntrica: uma pedagogia para a vida. Comunicação apresentada na ESE Almeida Garrett, Lisboa, 10 de janeiro.
Toro, Rolando. Informativo Biodanza, nº1, Brasília, maio de 2001,p.7
Toro, Rolando (2002). Biodanza. São Paulo: Editora Olavobrás / Escola Paulista de Biodanza.
Toro, Rolando Araneda (s/d). Biodanza y Educatión. Pensamento Biocêntrico, Revista Electrônica, edição nº 6. In http://www.pensamentobiocentrico.com.br/content/ed06_art04.php data da captura: 19-03-2014
Toro, Rolando Araneda (s/d). Educación Biocêntrica. Palabras de Clausura. Pensamento Biocêntrico. Revista Electrônica, edição nº 6. In http://www.pensamentobiocentrico.com.br/content/ed06_art05.php data da captura: 19-03-2014
Wagner, Cezar (s/d). Conceituando Educação Biocêntrica. Documento policopiado.


Monografia:
Dançar a Vida na Escola: A Biodanza enquanto instrumento e mediador da introdução da Educação Biocêntrica em contexto escolar


 
Experimente participar num Workshop de Educação Biocêntrica
Clique aqui para mais informações



Biodanza - Dança da Vida com Fernanda Pinto está no Facebook
Biodanza Fernanda Pinto
no Facebook




Contactos  |  Mapa do Site



Image
Image
image