Biodanza
Image


Biodanza Rua Camilo Castelo Branco em Lisboa - Aula 2 (Sextas-Feiras)


Grupo Regular de Integração

Aulas de Biodanza em Lisboa, às sextas-feiras, das 20H00 às 22H30

Neste Grupo Regular, a próxima aula aberta ocorrerá no dia 22 de Novembro de 2019.


Facilitadora: Fernanda Pinto

Facilitadora Didata de Biodanza Fernanda Pinto
Facilitadora Didata de Biodanza Fernanda Pinto
Grupo Regular de Integração da Rua Camilo Castelo Branco (Aula 2), em Lisboa


Dançamos todas as sextas-feiras no seguinte local:

Salão Nobre dos Bombeiros Voluntários Lisbonenses
Rua Camilo Castelo Branco, 33 (perto da Praça Marquês de Pombal)
1150-083 Lisboa
Portugal

-Estação de Metro do Marquês de Pombal, saída da Avenida Duque de Loulé
-Paragens de autocarros da Carris da Praça Marquês de Pombal

Coordenadas GPS: N 38° 43' 30.37'', W 9° 8' 52.30''   Ver Mapa de Acesso


Participa numa aula aberta!

Neste Grupo Regular, durante o mês de Novembro, todas as aulas serão abertas. A
próxima aula ocorrerá na sexta-feira, dia 22 de Novembro de 2019.

Experimenta dançar com este Grupo Regular de Integração da
Biodanza Fernanda Pinto.

Clica aqui para te inscreveres!



Salão Nobre dos Bombeiros Voluntários Lisbonenses
Salão Nobre dos Bombeiros Voluntários Lisbonenses
Sala de Biodanza do Grupo Regular de Integração


A metodologia da Biodanza está centrada na vivência, compreendida como o contato profundo consigo mesmo, a conexão com a própria identidade, a leitura de sentimentos e emoções, bem como as necessidades do ser (Toro, 2002:30). Vivência é a experiência íntima com a vida e a possibilidade de compreensão do outro a partir do conhecimento de si mesmo. Rolando Toro inspirou-se em Wilhem Dilthey, que foi o primeiro autor a propor este conceito (Toro:2002:29). Ao longo da elaboração do modelo teórico da Biodanza, Toro definiu algumas características essenciais da vivência, das quais salientamos a “experiência original de nós mesmos, da nossa identidade, anterior a qualquer elaboração simbólica ou racional” (Toro:2002:30).


Na construção do modelo teórico-operacional da Biodanza, Toro identificou um eixo com dois pólos que constituem um contínuo pulsante– a consciência intensificada de si e do mundo e a regressão. Estes dois pólos são complementares e são ativados através da música, do movimento e de exercícios de dança, que permitem o desenvolvimento da expressão integrada da identidade. Estes três mecanismos de ação permitem ativar cada um destes pólos e proporcionar a pulsação entre eles.

 

      Consciência                      imagem-seta            Regressão

      Intensificada de si

 

Toro identificou  cinco canais de expressão dos potenciais genéticos humanos aos quais chamou, linhas de vivência. As linhas de vivência têm a função de desenvolver e integrar o potencial genético com vista a uma expressão integrada da identidade. Assim, as vivências estão organizadas em cinco grandes conjuntos expressivos do potencial humano: a vitalidade, a sexualidade, a criatividade, a afetividade e a transcendência.


A vitalidade  corresponde ao ímpeto vital, à energia vital disponível para a ação, que permite que a pessoa esteja no mundo com coragem, alegria e entusiasmo. Corresponde também à capacidade de autorregulação na pulsação entre ação e repouso. O instinto associado à vitalidade é o de conservação (Toro:2002:85).


A sexualidade contribui  para a conexão com os prazeres quotidianos, prazer de mover-se, de sentir. O instinto associado à sexualidade é o instinto sexual, cuja função é a reprodução (Idem:86).


A criatividade  está ligada à expressão,  à curiosidade, às mudanças de posição face ao ambiente. Estimula a linguagem artística em todas as suas dimensões, “a criação é (…) uma extensão do processo de vida.” (Toro, 2002: 88,89). O instinto associado é o exploratório, o impulso de renovação presente em todos os seres vivos: “Nós somos ao mesmo tempo a mensagem, a criatura e o criador.” (Toro, 2002:88).


A afetividade desenvolve-se a partir da protivivência da nutrição, da necessidade do “calor amoroso”, da comunicação com as pessoas. Refere-se à experiência de amor e vínculo com o seu semelhante, desenvolvendo-se a amizade, o amor e a solidariedade. Nas palavras de Toro “o ato de ligar-se, não é outro senão o passo titubeante no longo caminho do amor” (Idem:89). O instinto associado é o gregário, que compreende a capacidade de vínculo à espécie (Ibidem).


A transcendência está ligada à protovivência de plenitude e de harmonia com o meio ambiente. Desperta a relação das pessoas com a natureza e a consciência cósmica. A capacidade de superar-se a si mesmo. O instinto associado é o de fusão, de “ressonância biológica” (Toro, 2002:91). A Biodanza estimula e promove o desenvolvimento do potencial genético e da expressão da identidade, através da música, do movimento e de exercícios-facilitadores dessa expressão em cada uma das linhas de vivência atrás referidas (Toro:2002:93).


É um processo de integração da identidade humana e que busca a expressão, o vínculo, a nutrição afetiva e a criatividade; o contato consigo mesmo, com os outros... a comunicação afetiva com tudo o que nos rodeia.

In Pinto, Fernanda (2016)  Dançar a vida na Escola, pag 73 a 76




Todas as sextas-feiras nos encontramos para dançar a Vida... Terminar a semana assim abre as portas para a alegria logo no início do fim de semana e prolonga-se por vários dias.

Anda daí dançar a Tua Vida e explorar o teu potencial emergente!


Atreve-te a Dançar a Vida!


Junta-te à nossa Roda!!!



Biodanza Fernanda Pinto está no Facebook
Biodanza Fernanda Pinto
no Facebook





Contactos  |  Mapa do Site


Image
Image
image
Positive SSL